quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Terra das Sombras - Meg Cabot

Eu não gosto de ler no computador! Meus olhos ardem, é muita luz e eu pisco até enquanto durmo. Por isso é estranho eu ter lido um livro inteiro no Word.

Mas esqueçam meus tormentos, é sobre a história que eu deveria falar. Terra das Sombras é o primeiro volume da coleção A Mediadora de Meg Cabot. Sempre quis ler algo dela, porém nunca consegui. Não tenho vontade de ler O Diário da Princesa por causa do filme; comecei Todo Garoto Tem no pc, era legal mas não tive paciência; li até a metade O Garoto da Casa ao Lado e a história ficou enrolando e desisti. Finalmente achei um que me interessou, ao menos um pouco.

O livro conta a história do ponto de vista da Suze, adolescente de 16 anos que consegue ver fantasmas e, se eles estão por aqui, é porque não cumpriram sua missão para partir para "o outro lado" que Suze não tem a menor idéia do que ou onde seja, já que a menina não é religiosa praticante de nada. O pai dela já faleceu, sua mãe resolve casar-se novamente e elas saem de Nova York para a Califórnia e passam a morar com Andy e seus três filhos que Suze gentilmente chama de Mestre, Dunga e Soneca (só o Mestre é mais novo que ela, os outros dois são adolescentes também). Já na nova casa a menina encontra um "fantasma latino bonitão" chamado Jesse que mora em seu quarto. Na escola católica ela conhece o padre Dom que também é mediador e uma fantasma muito chata (verdade, a menina é insuportável...) que se suicidou por causa de um namorado e fica atazanando a vida da Suze.

Essa é a historinha. A Suze rouba a cena já que ela é normal, sem aquelas frescuras de "a mais popular da escola", mas sem deixar de lado que ela gostaria de ser um pouco mais conhecida. A menina fala o que quer e não tem medo de dar uns socos no fantasma mais próximo. O Jesse, que faz o futuro par romântico e deveria ser tão importante quanto a protagonista, não fez muita diferença. Lógico, o garoto é lindo falando hermosa, salva a Suze de umas enrascadas, mas aparece só algumas vezes e não interfere na trama. Além deles, todas as personagens são muito carismáticas, você gosta e ri de cada uma delas, desde o Padre Dom até a amiga albina Cee Cee. Com exceção da "fantasma líder de torcida chata" Kelly que quer matar o namorado e acabar com a vida da Suze, que usa todos os meios para se livrar dela (até um exorcismo "a moda brasileira", me poupem, quase desisti de terminar a história).

O livro tem todo aquele clima high school, mas de um jeito diferente já que não é sempre que alguém encontra espíritos por aí. É uma leitura despretenciosa para quem procura um romance adolescente e não sabe qual escolher. Continuarei lendo a série (coitado dos meus olhos...) porque a história terminou MUITO aberta e com várias perguntas sem respostas, agora estou curiosa :/

3 comentários:

tonks71 disse...

Cookie & Cake,

Meg Cabot usa , às vezes, o pseudônimo Patricia Cabot, talvez seja uma opção, gostei do A Rosa do Inverno, livro que ela escreveu com esse pseudônimo.

Cookie & Cake disse...

Ah, eu já ouvi falar sobre esse livro, acho que vou pesquisar e ver se me interesso :)

Debora disse...

Nossa eu li todos os livros vale muito a pena ler, mesmo pelo computador (eu tambem tive que ler, pois na escola soh tinham dois). Foram alguns dos livros que eu mais gostei.