quarta-feira, 10 de junho de 2009

Peter Pan is "the" man

"Todas as crianças crescem - menos uma. E bem cedo elas ficam sabendo que vão crescer. (...) Depois dos dois anos, você sempre fica sabendo. Dois anos é o começo do fim."

Peter Pan deve ter sido uma das crianças com mais crises emocionais do mundo. E eu digo isso pelo fato de que ele foi contra a natureza de qualquer um: crescer. Crescer é uma coisa muito complicada, qualquer mudança na vida do ser humano é complicada. Você não sabe se depois dos seis anos estará pronto para responder uma prova na primeira série; também sofre quando na quinta série você descobre que entrou no fundamental II; pior do que isso é lembrar que depois do colegial, tem a faculdade. E as mudanças não param por aí, para qualquer coisa você precisa tomar decisões e seguir um caminho.
Por essas e outras que eu, ingenuamente, achava que a vida do Peter Pan era muito boa, só brincando com os Meninos Perdidos, paquerando as sereias e tirando sarro do Capitão Gancho. Mas, analisando melhor, imagina você ser aquilo que todos não são. Ninguém é criança para sempre, pessoas crescem, tornam-se adultas, e Peter Pan continua na Terra do Nunca. Quantas vezes ele não pensou em desistir de tudo e crescer, se a Wendy cresceu e se deu bem, por que ele não poderia? Pior do que isso é que você nunca saberá de tudo, porque você nunca cresce, seu conhecimento é sempre restrito, já que a cabeça não é madura o bastante.
Wendy surgiu como mãe para Peter porque ela precisou ensinar tudo a ele. As histórias talvez fossem aquilo que ele nunca soube e um dia ela lhe contou. Wendy foi alguém que Peter amou mesmo não percebendo, e foi assim que ela conseguiu explicar, com carinho, que era possível ser criança para sempre, mesmo que com ela isso não se cumprisse.

"Ele fingiu que estava indo embora, para ver se ela olhava. Mas não deu certo. Então, ele se sentou na beirada da cama e deu uma batidinha de leve nela, carinhosa, com o pé.
- Wendy, não vá embora, eu não consigo deixar de ser convencido e ficar me gabando quando eu estou feliz, Wendy.
Mesmo assim ela não olhou. Mas estava ouvindo com toda a atenção. Então ele continuou com uma voz a que nunca mulher nenhuma foi capaz de resistir:
- Wendy, uma menina vale mais do que vinte meninos...
Ora, cada centímetro de Wendy era de mulher - embora não houvessem tantos centímetros assim."

Obs.: A primeira versão de Peter Pan foi escrita em 1902 por James Barrie. O livro - como vários outros contos de fada - era direcionado para adultos e o narrador era um ladrão que contava a história para uma criança que ele queria roubar (!). Somente em 1911 que Barrie escreveu Peter Pan and Wendy, uma versão um pouco mais infantil da história, mas que não agradou em nada. O texto é cheio de ambiguidades, confusões por causa do tempo e subjetividades, elementos inceitáveis na época (e que você só entende ao ler o livro). Os trechos foram extraídos da versão traduzida por Ana Maria Machado (*.*)

Nenhum comentário: