quarta-feira, 15 de julho de 2009

Destino

Destino começou a ser produzido em 1946 pela Walt Disney com o auxílio de Salvador Dalí. O projeto foi abandonado porque o estúdio não tinha recursos financeiros, consequência da guerra. No lançamento de Fantasia/2000 o projeto foi mencionado e o vice-presidente da Disney, Roy Edward Disney, resolveu voltar a produzi-lo. O curta, lançado em 2003, uniu as obras de Dali e as características dos filmes Disney: a música lembra aqueles episódios musicais do Mickey, ou as canções dos longas mais antigos e até o próprio Fantasia.

Eu "conheci" Salvador Dali quando era bem nova. Aos 7 anos, minha professora resolveu falar sobre o artista em sala de aula, o que é meio estranho porque a ideia geral é de que crianças da segunda série não gostam dos trabalhos inconscientes do Dali, talvez até tenham medo.

Mas, deu certo. Ela pediu até para comprar um livrinho sobre o pintor que contava a história da vida dele de forma bem humorada. Salvador Dali, como quase todos os artistas, sofreu desde a infância, seus pais queriam que ele fosse como o irmão que tinha morrido. No final das contas ele começou a fazer esses quadros que, as vezes, a gente não entende, mas acabam sendo engraçados de tão estranhos. Ele conseguiu o que queria, os quadros passam sensações que só são percebidas quando sonhamos.

Nenhum comentário: