segunda-feira, 27 de julho de 2009

Só uma peça de teatro, aham

Nos arredores de Mansfield Park o pessoal resolveu organizar uma peça de teatro. Eu, que já não aguentava mais o lero-lero, teria acabado com a graça de todo mundo em alguns instantes. Vamos simular a minha direção:

- Primeiro, quando vocês começaram com essa história de teatro eu achei que fosse só uma pecinha, simples, daquelas que eu fazia com meu primo quando pequena e o cenário não passava de uma mesa de plástico. Mas, de repente, a autora colocou que vocês compraram (COMPRARAM) tecido para as cortinas.
- Com licença, as coisas precisam ser feitas com primor - disse Miss Bertram.
- Ah, já que você apareceu, lembrei de um detalhe: Henry Crawford fará par com a irmã dele.
- Como é? - retrucou Mr. Crawford enquanto Júlia Bertram comemorava a tristeza da irmã mais velha.
- É, o senhor está muito saidinho, te jogaram para cima da Júlia Bertram e você continua flertando com a Maria Bertram sendo que ela está noiva, NO.I.VA. Ou casa ou não casa, não queira ser mais um Willougby.
- Não conheço esse senhor.
- Mas deveria, Sense and Sensibility nasceu antes de vocês. Se você gosta tanto da Maria é só dar o fora na Julia e ter coragem de pedir a outra em casamento.
- Que horror! E, o que significa, "dar o fora"? - espantou Julia.
- Ah, não me venha com esse jeito inglês tentando ser certinha. - disse, ignorando o fato de que eu teria que usar melhor as palavras - E outra, Fanny pare de chorar, o Tom Bertram só pediu para você fazer uma pontinha na peça...
- É, são só algumas falas - complementou Mr. Rushworth - Você sabe quantas falas eu tenho que decorar? São...
- Eu sei, 42 falas, você disse isso umas três vezes e nem comente do figurino que não gostou, já começo a entender porque a Maria quer tanto encenar com o Mr. Crawford.
- Já que comentamos sobre o Tom, onde ele está?
- Ah, eu o coloquei para dar um passeio com a Miss Crawford. Não quero aquela moça perto do Edmund, melhor ela ficar com o irmão mais velho desleixado.
- Como assim? Miss Crawford é...
- Deixem eu terminar de conversar com a Fanny! - gritei, haja paciência para tentar ser uma britânica educada. Virando para Fanny:
- Menina, você tem noção da sua importância nessa história? Eu até gostei de você quietinha na sala de livros, mas, por favor, aulas com a Elizabeth Bennet já para moldar essa personalidade.
- Com licença, pare de falar com minha prima desta forma.
O coração parou. Ele acabara de entrar na sala e era tão lindo como qualquer galã austeniano deve ser.
- Tudo bem Edmund. (suspiros) Não comentarei mais nada, mas lembre-se de uma coisa, você, como qualquer bonitão da Jane Austen, possui defeitos e não foi nada gentil sair para passear com a chatinha da Miss Crawford e deixar Fanny sentada no meio do jardim. Tsc, tsc, por favor, não me decepcione e seja mais um Mr. Knigthley (mais suspiros).
- Ahn, esses são parentes dessa Miss Bennet que você acabou de comentar?
- Não! Sinceramente, vocês precisam conhecer mais sobre seus companheiros que nasceram da mesma cabeça e que devem estar perdidos em alguma vila aqui perto.

E assim eu iria embora, em um cabriolé, feliz da vida, após ter feito minha boa ação do dia. E também muito curiosa porque, provavelmente, até chegar ao final do livro, muita coisa vai mudar. O jeito é eu parar de ficar inventando casais em cima das histórias dos outros e ir terminar de ler Mansfield Park.

(Acabou sendo um post para o Blorkutando)

EDIT: Este post foi comentado no Jane Austen em português e escolhido pelo Blorkutando. Obrigada :D

5 comentários:

Lilly disse...

Gostei do seu texto, apesar de não ter entendido quase nada pq eu nunca li Mansfield Park.
P.S. Vi seu blog na comunidade do Blorkutando ;P

Beijo.

Elaine disse...

Olha, acho que nem com intervenção divina Mansfield Park melhora. Detesto esse livro e tenho muita dificuldade para lê-lo, apesar de ser Jane Austen.

Raquel disse...

Bárbara
eu não tive o teu bom-humor na primeira vez que li Mansfield! Gostei muito e estou mencionando lá em casa. abs

_diabolique_ disse...

Achei seu post lá no Jane Austen em português, me acabi de rir aqui, acho que as pessoas da lan house acham que fiquei louca xD.

"Ou casa ou não casa, não queira ser mais um Willougby.
- Não conheço esse senhor."

Adorei! Ainda não li o livro mas conheço a história (assisti as versões pra cinema e tv)e é com certeza uma das minhas favoritas.

Muito obrigada pelas risadas, eu estava precisando

Bárbara Garcia disse...

Muito obrigada pelos elogios _diabolique_ ! Procurei algum texto seu nos blogs, mas não encontrei. Fica aqui meu agradecimento :D