quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Sobre livros arrumadinhos

Gosto muito de olhar livros infantis e tenho uma vontade enorme de ler Clara Luna e Apolo Onze. Livros para crianças são bonitinhos, coloridos, com textos alinhados e capas chamativas. Toda essa coisa, que dizem ser pedagógica, ainda chama minha atenção e um livro de literatura desse jeito ficaria lindo.

Como disse no post anterior, sempre olho o tamanho da letra de um livro antes de lê-lo e, principalmente, comprá-lo. Eu não vou pagar por um livro de 400 páginas com uma letra minúscula que vai do topo da página até o final sem espaçamento mínimo entre as linhas. Prefiro um livro grosso do que minha vista cansada. E se o problema são as árvores e, por isso, querer economizar papel, partam para o reciclado. Diagramação limpinha é o que eu peço.

Pode parecer frescura, mas já tive casos desse tipo. Durante o Ensino Médio tive que ler A Cidade e as Serras, de Eça de Queirós. Comprei uma edição mais barata e bem antes da prova para ler com calma. Ao abrir o livro viro a primeira página e, pronto, o livro começou. Não tinha uma dedicatória, um prólogo, um comentário, um nada dessas coisas que eu sempre leio quando acabo o livro. Tudo bem, parti para o texto com os menores tipos que eu já vi na minha vida, as linhas indo até a borda da folha fazendo você pensar que cortaram as páginas de forma errada, parágrafos que pareciam ainda maiores porque, com essa economia de espaço, você demorava um bom tempo para virar a página. No final, li metade do livro um dia antes da prova, não gosto de A Cidade e as Serras até hoje e não tenho vergonha de colocar um pouquinho da culpa na diagramação assustadora. Bem que poderia ser arrumadinho como os livros infantis, não?!

Foto: Jornal que fizemos semestre passado e eu, gentilmente pressionada, fui a diagramadora. No início achei que eu só teria que encaixar o texto no layout do InDesign, mas isso se tornou muito mais complicado. Esse jornal ia e voltava e os textos nunca terminavam no lugar certo, as fotos sempre ocupavam espaço demais para o meu gosto e as letras de uma matéria eram maiores que as outras. Depois de muitas idas e vindas o negócio saiu e me fez pensar: se dá tanto trabalho, pelo menos mostre que tem garra e faça uma diagramação organizada para uma leitura confortável.

PS: É a minha matéria, ok?! :) E o scanner também se voltou contra mim e cortou todo o espaço que eu deixei na borda, omg.

4 comentários:

Mari disse...

Tem selo para você no blog!
=D
Beijos,Mari

Anna disse...

Super concordo. Antes de comprar um livro eu sempre olho bastante a capa e as páginas, tem umas que são tão mal feitas que dá antipatia pelo livro em si.
Beijos

Elaine disse...

Não é besteira sua, não. A diagramação do livro, a escolha do papel, todos esses pequenos (grandes) detalhes contribuem bastante para uma leitura prazerosa (ou não). Fora os problemas que você citou, livro com páginas branco Omo também são horríveis de ler.

E diagramação é mesmo uma das matérias mais legais da faculdade. O meu pesadelo era sempre a tal da linha viúva...

Bárbara Garcia disse...

As linhas viúvas foram a pior parte, nunca conseguia tirar aquelas palavrinhas do canto. Apesar de todo o trabalho, valeu a pena :)