segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Alice (microsérie)

Que eu me interesso muito pelo universo da Alice todo mundo já sabe (se não sabe é porque ainda nem carregou o banner do blog...). E existem tantas versões para uma mesma história, a imaginação vai tão além com esse livro do Lewis Carroll, que às vezes eu acho que não tem mais o que criar em cima dos mesmos personagens. Bem, eu espero que o filme do Tim Burton esteja aí para quebrar essa imagem, mas, se não der certo, essa microsérie da SyFy também faz isso.
Alice (Caterine Scorsone) é uma moça que dá aulas de karatê, mora com a mãe e está a procura do pai que sumiu há alguns anos. Uma noite o namorado dela, Jack (Philip Winchester), resolve lhe dar um anel e convidá-la para conhecer a família dele. A menina recusa, mas quando está saindo da casa, encontra o namorado sendo levado a força para algum lugar por uma equipe liderada por um senhor vestido de branco que, na verdade, está a procura do anel.
Alice (obviamente) vai atrás do senhor para salvar Jack, ela atravessa o espelho e cai próximo a sede das organizações "White Rabbit". Ela consegue fugir e desaba no país das Maravilhas onde encontra o Chapeleiro (Andrew-Lee Potts), dono da Casa do Chá (dã), uma espécie de bolsa de negócios em que no lugar do dinheiro temos sentimentos como paixão, luxúria, ganância, etc. É, os humanos são "roubados" da terra e levados para um cassino na Wonderland. Seus pés ficam presos ao chão, suas memórias esvaem-se e todos os sentimentos produzidos por lá tornam-se líquido e são vendidos para os habitantes do espelho. É desta forma que a Rainha de Copas (Kathy Bates) mantem seu reinado e todos os súditos bem submissos.As atuações não são ótimas, ficam no mais ou menos: as mesmas expressões várias vezes. O visual é bonito tanto na cidade (com o ambiente escuro, prédios destruídos e sujos), quanto na floresta (com o brilho e as árvores mostrando que a Rainha ainda não tinha destruído tudo). Só não gostei daquele cassino com enfeites parecendo... uma boate, nem sei, ficou bem pobre. Comparada a cena em que Alice cai do caixote, poderiam ter gasto um pouquinho mais nos efeitos especiais do cassino. A trilha sonora também é um ponto fraco, talvez porque eu goste daquelas coisas suntuosas e meio marciais (Piratas do Caribe, oi?), mas, de qualquer forma, são umas músicas bem murchas.

Se você já gosta de Alice no País das Maravilhas e Alice através do espelho, essa minisérie com dois episódios é uma boa descontração. Se você não gosta ou não curte esse estilo nonsense, é melhor nem se precocupar com em fazer o download. O divertido da série é que ela coloca o clássico literário com uma nova história original e diferente, mas mantendo a essência dos personagens. Tudo que você procura em um remake de Alice, está lá: o Chapeleiro com frases inteligentes, a Lagarta meio drogada, a Rainha cortando cabeças. O primeiro episódio é bom, no segundo o ritmo cai um pouco, porém volta com ânimo no final. Para quem não aguenta mais esperar pelo filme do Tim Burton, essa minisérie mata um pouco o tempo. (E o Chapeleiro é um amor! Mas essa é a opinião secreta da blogueira...)

7 comentários:

Chica disse...

Fiquei com vontade de ver...Mesmo não esperando muito, deve ser legal!beijos,tudo de bom,chica

caosemplumas disse...

Esse filme promete xD

Jana Barreto disse...

haha esse sorriso do gato ficou diou... de outro mundo. rs eu acho a alice super fofa, não sou assim louquinha, mas acho legal sim. =) onde que eu encontro pra baixar? o/

Ah, romancinho que começam com amizade são fofos, entendo sua preferência. é mágico até!

Raquel disse...

Bárbara, ai que medo desse gato!

Babih Xavier disse...

Aah eu quero ver!!!
Jah estou doida pra ver Alice que nem foi ançado aki ainda (o que tem o johnnt Depp) e agora quero ver esse ahuahuau

Natália disse...

Gostava quando era menor. Mas agora não mais! Beijos

Bruna disse...

nhow Fiquei com vontade de ver *-* É legendado? Se for você me manda o link pra download? obrigada.
beijos.