quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

A adolescência da internet

Durante os meus 13 anos, eu comecei a descobrir a internet discada aqui de casa, isso só nos fins de semana e, de vez em quando, à noite. Nessas oportunidades eu visitava o site da Turma da Mônica (!) e dava uma passadinha nos blogs das minhas amigas. Nessa época a blogosfera estava em alta pelo menos no meu círculo de amizades: as postagens eram, no geral, com aqueles textos sem autoria que chegam por email ou com gifs animados e cheios de gliter com frases do tipo "Sua inveja faz a minha fama". E nós achávamos que nossos blogs eram o máximo...

De lá para cá a blogosfera amadureceu e deixou de ser um diário para relatar suas aventuras aos miguxos, e se tornou um meio de expressar ideias e opiniões, sendo bem visto até pelos canais jornalísticos. Para isso, os blogueiros aprenderam que não dá para postar quando tem vontade (a cada dois meses), não dá para viver enclausurado no seu blog e esperar que todo mundo visite, tem que ser cordial e responder comentários decentemente, tem que escrever direitinho sem aqueles "símbolos e siglas" que diminuem o público, não dá para empetecar o blog (porque isso distrai a leitura). Enfim, hoje a blogosfera está mais controlada, apesar de sempre surgirem aqueles rebeldes sem causa que insistem em plagiar textos ou criar um espaço que não traz nada de bom para ler, esses casos duram pouco e o pessoal já sabe que blog pode sim ser sinônimo de qualidade.
E isso acontece em toda a internet, mais ou menos como é com a gente. Todas as redes sociais tiveram uma infância, aquela época em que um número reduzido usava, os dias eram felizes e tudo era organizado (Facebook está nessa fase). Isso até chegar a adolescência quando a mídia populariza, cada um faz o quer, não tem medo de desabafar as mágoas do dia na web (vide as comunidades do orkut que SEMPRE tem uma briga, até dos assuntos mais inúteis). A adolescência da internet, convenhamos, dura muito tempo, mais do que queríamos, e sempre sobra um ou outro que insiste em manter o desrespeito. Mesmo assim, alguns aprendem que a internet não faz parte de um universo paralelo em que você fica desligado do planeta Terra. Por trás de cada avatar, existe um ser humano que merece respeito, mesmo que você não o veja. É nessa hora que começa a maturidade e controlamos nossos impulsos em frente a tela para não cometer erros que nem pensaríamos em fazer no dia a dia.

A internet é feita por gente de carne e osso, mas tem muitos que acham que, escondidos atrás da telinha, podem fazer o quer. Não dá, assim como em qualquer ambiente, é preciso seguir as regras de boa cidadania e ética para conseguir manter sua vida online de maneira agradável e alcançar o respeito daqueles que estão do lado de fora.

(charge da The New Yorker)

11 comentários:

Natália disse...

Também entrava no site da Turma da Mônica, aquela época era tão boa. Beijo

Giovanna disse...

Eu também passei por essa fase, mas na minha rede de amigos na época o que era 'modinha' eram os fotologs. HaHa A fase de "miguxos e miguxas" passou, mas era tão feliz e inocente KSOAKSOAKSOA adorei aqui.

Chica disse...

Realmente, temos que manter a conduta tanto na real, quanto no virtual...beijos,chica

Bruna disse...

Eu comecei a usar na época do orkut já, que tinha que mandar convite e tal. Não faz muito tempo. :D
Respeito em todo lugar sempre. (y)
bjs

Bell Souza disse...

Concordo totalmente. a gente dá um duro danado pra escrever uma postagem decente e vem sei lá quem copiar o que você escreve. E nem tem a humildade de pedir "emprestado". E sobre a internet eu achei muito válido. Porque de fato é isso que ocorre. O blog é uma forma de expressão maravilhosa, para quem sabe utilizar.
o Respeito precisa fazer paret em todos os meus sociais.
Obrigada pela visita. =*

James Pimentel disse...

Quando o povo vem no blog com spam me dá até ... (prefiro não comentar)
ashsuahuhahsahs

Gostei dessa sua análise. A adolescência é a fase onde ninguém suporta o individuo, onde ele passa por transoformações, mas , o mais importante, é a época que ele define o caráter. Acredito que o caráter da internet será essa infâmia, pornografia e descaso enquanto os usuários não se repensarem e perceberem o que fazem dela.

Beijos, obg por sempre estar no meu cafoblog!

Larissa L. disse...

Pois é, eu vivia no site da Disney e era muito encatador!!
Também tive a fase de modinhas, meu blog só vivia com comentários de briga, antes eu usava o orkut p ficar zuando... enfim..!
Mas agora realmente, é interessante ver que são poucos os que usam blogs, orkuts, para tais fins, e, mais interessante ainda, a gente não procurar mais por essas coisas hehe!


Beijos!

Kamilla Barcelos disse...

Eu comecei a usar a internet discada com 11 anos e visitava a o site da Turma da Mônica! Na minha turma blog nunca fez sucesso, mas fotolog fazia.
Seu texto ficou excelente e explica direitinho como faz para um blog funcionar. Eu concordo com o que vc falou, tb achei com os blogs amadureceram.

Jana Barreto disse...

ah, eu não passei pela fase discada da internet (amém!) e nem pelo começo da propagação dos blogs... achei bem interessante esses 'contexto histórico' :) e ri horrores com a charge... kkkk
é verdade mesmo que muita gente acha que na net pode fazer o que quer, mas não é. onde a gente vai, a ética vai atrás (igual a vaca e o boi rs)
Beijos e obrigada pelo link, estou baixando! :)

Luh* disse...

Muito bom, me fez lembrar do meu primeiro computador, era tão lento, tão sem graça e eu era tão novinha e meu pai havia comprado para que eu não brincasse na rua e sim estudasse no computador. Quando eu era nova vivia questionando isso, hj acredito que foi bom ter crescido com a tecnologia.

Clara disse...

Pára tudo! Eu AMO esse livro, é simplesmente maravilhoso, fadado a virar clássico. Lembro de quando li, do quanto os personagens entraram na minha vida. E no final, vou confessar, rolou uma lagriminha...

Se não fosse tão grosso, eu releria toda semana.