terça-feira, 6 de julho de 2010

Macbeth: um comentário bem breve

(contem detalhes da história)
A minissérie trazia referências no nome para a última e mais curta tragédia de Shakespeare: Som e Fúria foi ao ar e cativou com a encenação de Hamlet; Macbeth, e a "vida de som e fúria", ficou com a fama de ser uma peça sobre maldade, mesmo que ao final até o vigia do teatro se convença de que não é bem assim. E não é mesmo.
O protagonista e sua esposa, Lady Macbeth, convencidos por bruxas da floresta, acreditam nas profecias de que se tornariam os comandantes da Escócia. Para tanto, utilizam dos planos mais negros para aniquilar todos que estão - ou poderão estar - impedindo o caminho ao trono.
Lady Macbeth começa seu discurso pedindo ajuda as trevas; depois arma um plano para matar o atual rei da Escócia e "finge" um desmaio quando lhe dizem do homícidio que ela mesma ajudou; no ápice, tem delírios durante a noite quando passeia sonâmbula e louca. Já Macbeth quer cometer o assassinato, mas não tem coragem; mais tarde perde o medo das mãos manchadas de sangue e mata até o próprio amigo, cujo fantasma ele vê passeando pelo castelo; no final, acreditar nas profecias incertas acaba lhe tirando a vida.
A história é cheia de maldade e traição vinda por parte do casal protagonista. Eles podem parecer como vilões, mas ambos são humanos, o que se vê pelos momentos de loucura, já que se fossem totalmente formados de maldade não teriam ressentimentos manifestados mesmo inconscientemente através de ilusões. A loucura das personagens é um sinal da humanidade deles, assim como a ganância, o poder e a fama, representadas a tragédia inteira, também fazem parte da nossa natureza. O fato é até onde ir para alcançar essas vontades. O casal Macbeth chegou a um extremo.

A peça está em cartaz no teatro do SESC Pinheiros, São Paulo, com a direção de Aderbal Freire-Filho (o mesmo que dirigiu Hamlet com o Wagner Moura). E se você não pode ver no teatro, procure essa ou qualquer outra peça de Shakespeare para leitura, todas falam do ser humano e seus melhores/piores lados. Agora, se você quer um resumo bem rápido da história, essas crianças te explicam.
Em tempo, muito obrigada pelos comentários da postagem anterior, fiquei bastante feliz com todos eles e vou responder a com muito carinho :)

8 comentários:

Podolski disse...

Você realmente será uma ótima jornalista. Aqui na minha cidade é quase impossivel de uma obra dessas se apresentar. Fico eu só na vontade, rs

Chica disse...

Muito legal! Aqui em Poa acho ainda não veio! Vou cuidar!Pode até ter estado já aqui,ando muito desligada!rrs...um beijo,tudo de bom,chica

Yasmin Carli disse...

Eu assisti Som e Fúria, e li a peça, aliás não só ela como outras de Shakespeare, é muito intenso, os dramas do ser humano, conquistar o querem e ao mesmo ser assombrado por fantasmas inteiros, todo o drama mostra bem as controversas feições do ser humano, pela resenha, concordo plenamente, não é apenas maldade, não é apenas loucura, é uma forma de traduzir todo o sentimento. Muito bom.

Deyse Batista disse...

A droga é que nem adianta eu curtir, porque é raridade algo de bom vir parar em terras maranhenses. Fiquei com invejinha, ah se fiquei :( haha.
Beijos.

Tary disse...

Espero que a peça venha pra cá! Depois que Calígula veio, estou louca pra que outros espetáculos "grandes" sejam apresentados aqui. Me interessei muito porque eu adoro Shakespeare desde pequena e Macbeth é a única história que não conheço praticamente nada. Ótimo post!
Beijos ;*

Janaina Barreto disse...

Você tem muita sorte! Sempre tem coisas boas pra você ver poraí...
Aqui tem nada! :S

Eu queria muito ler alguma coisa de Shakespeare, mas nunca consegui! Sei lá... Quem sabe, né? Vou dar uma olhada no vídeo agora. Se for legal, eu de repente até me animo. =P

Beijim, Bárbara!

Mah xD disse...

Ah, eu fiquei com vontade de ver a peça *---*

ligadona disse...

Eu queria ter visto Hamlet..Agora que fiquei sabendo que está passando Macbeth qro ver tb..hehe..
=1