sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Complicações do recesso

Eu confesso: eu sou aquele tipo de pessoa sem-graça que quando está de férias não vê a hora de voltar à rotina normal e quando volta, não vê a hora de ficar de férias. Durante as primeiras semanas eu não reclamo, mas quase dois meses de recesso é pedir demais da minha paciência paulistana.
Para mim as férias deveriam vir em pequenas doses. Ninguém precisa de seis semanas diretas de folga e acordando tarde (falando parece muito bom, mas deixe-me explicar); o que a gente precisa é de 15 dias para descanso depois da semana estressante de provas, trabalhos e madrugadas acordadas. Quando o sono precisa ser restaurado não aparece nem um dia oferecendo a possibilidade de acordar depois das 10h, essa maravilha só surge no final do semestre, mas até lá eu já agi feito um zumbi durante três meses.
Alguns podem argumentar que as longas férias possibilitam viagens e altas aventuras com os amigos, mas isso não é a realidade. Diferente das férias que aparecem em seriados americanos, eu não saio muito mais com os meus amigos, eu não faço nada extraordinário, não vivo nenhum amor de verão e não vivo com a adrenalina a flor da pele. Eu geralmente faço uma boa viagem com minha família, fico no computador, e leio. Nada anormal e nada que precise de seis semanas.
Talvez o meu maior problema com as férias é que elas representam o fim de um semestre e, no caso de dezembro, o fim de um ano. Eu não gosto de fins, e não adianta dizer que eu devo ver como um “novo começo”, porque eu tenho dificuldade em olhar dessa maneira. Férias são boas, mas eu sei que daqui umas semanas sentirei saudades da minha rotina atrapalhada de provas e compromissos.

PS: Por enquanto, admito, estou aproveitando essa folguinha e preguiça merecida.

9 comentários:

Vanessa disse...

Para mim as férias deveriam vir em pequenas doses[2]
Eu queria que fosse assim.....minhas aulas só voltam após o Carnaval...vou surtar! Não preciso de férias tão loooongas hahaha

(www.caixinhadeopinioes.zip.net)

. ThammyK. disse...

Tem um selinho para você no meu blog.
Um beijo!

Patrícia N. disse...

Quando eu era mais nova,odiava ferias.Hoje em dia me sinto mais a contade com elas.
Me identifiquei bastante com teu texto o/

Ana Lu disse...

Sabe que eu nunca tinha pensado nisso? As férias realmente seriam melhor aproveitadas se viesse em pequenas doses! Vamos abraçar essa ideia Bárbara! Hahaha
Beijos

ligadona disse...

Não adianta eu não sei descansar direito. Não consigo ficar parada. Se alguém me disser/; /'Não faça nada/' Eu não sei fazer..rsrs...
=1

Patrícia N. disse...

Selo para ti lá no meu blog *-*

Thammy Kherullyn. disse...

Vejo um pedaço de mim em você, que não se contenta com uma rotina calma e sem alguns acontecimentos inesperados. Depois de alguns dias, esses dias vagos enjoam mesmo.

Um beijo!

mariasamara disse...

É sempre assim, né? Talvez ajude pensar que um fim de uma coisa também signifique um começo de outra.

Nathy disse...

Ah, mas eu acho que nem todo mundo gosta tanto de férias, acaba ficando tediosa, quando elas são muito compridas.

Mas vamos aproveitar aquilo que nos é dado! rsrs

Beijos!