quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Enquanto houver espaço...

ATENÇÃO: preparem-se para uma postagem cheia de fotos, totalmente pessoal e sem aparente utilidade pública. Isso é um blog e ás vezes dá vontade de fazer essas coisas.

Essa semana eu estava no ônibus e vi um homem segurando dois livros, lendo um deles. Estava em pé ao seu lado, junto com a minha irmã, até que ele se virou e disse: "Vocês querem esse livro?" Em um impulso - consequência das exortações dadas pela família durante a infância para não aceitar nada de estranhos - minha irmã respondeu que não precisava. Ele ofereceu a mim e eu também recusei. A história foi então explicada pelo senhor: "Eu tenho uns 500 livros em casa, como não quero jogá-los fora, toda vez que eu saio na rua levo uns três ou quatro e saio oferecendo para as pessoas."

Um dia é bem provável que eu chegue a este estágio: ter tantas coleções até que falte lugar para guardar (espero que demore um bom tempo). Eu sempre fui adepta de coleções, umas deram certo, outras não passaram da primeira compra. Porém mesmo quando eu achava que estava isenta desse vício, na primeira organização do quarto eu descobria uma coleção escondidinha no fundo do guarda-roupa.
Já colecionei álbuns de figurinhas (nunca completados), folhas de fichário, pedras, moedas, tazos (para bater no recreio), papeis de carta e até folders de turismo, na época em que eu queria seguir essa carreira. Ou seja, de tudo um pouco. Alguns resquícios mais queridos dessas coleções ainda se encontram perdidos pela casa porque eu me recuso a jogar fora.
Hoje minhas coleções se resumem a essas das fotos (incluindo os livros, para os quais eu não tirei uma foto nova):

Marcadores de livros (isso não significa que eu encontre um deles quando preciso...)

Mangás

Matérias de jornais e revistas (Isso é antiquado hein?! Na época em que o acervo dos principais meios de comunicação do mundo está todo online e disponível, quem é que ainda se dá ao trabalho de recortar as matérias do papel e guardar? Bem, eu.)

Chaveiros (em destaque meus favoritos)

Cartões postais (desde aqueles que você pega de graça na porta do cinema até alguns que vieram do exterior)

Bonequinhos que eu gosto de guardar e, de vez em quando, expor pelo quarto.

Se você olhar o ato em si, colecionar não tem nenhuma utilidade aparente. Colecionar é algo que ocorre sem querer: você começa guardando uma ou outra coisa e quando vê já precisa de um caixa ou pasta para deixar tudo organizado. Se você não entende o que há de incrível em colecionar, acredite e, por incrível que pareça, isso é algo divertido e até gratificante. Digam, por favor, que eu não sou a única a ter essas manias e se quiserem mostrem suas coleções nos seus blogs.
Ah, e se qualquer dia eu aparecer em um daqueles programas dos Obsessivos Compulsivos com pessoas que guardam até guardanapos, bom... não se impressionem.

PS: Essa postagem foi inspirada no Rapaduracast dessa semana: Colecionadores e a arte de colecionar. É um podcast sobre cinema, mas os temas também passam por tópicos do mundo pop. Ouçam, é muito bom.
Aproveitando... estou bem atrasada com relação aos comentários e selos. Peço desculpas e aos poucos estou visitando e comentando todos os blogs. Obrigada pelas visitas e mensagens!

16 comentários:

Vagner de Alencar disse...

Um homem ao qual você esbarra, esporadicamente, no ônibus, e que, além do mais, quer doar os livros dele para não jogá-los fora. Bárbara, esse senhor previu que você estaria naquele ônibus. Não é possível!!!E dentre todas coleções que você participa, tentou, ou insista em realizar nos dias de hoje, evidencia algo para mim: você é demais! Já tentei colecionar aqueles "tazzo" (nem sei se é assim)! Comprei uma vez uma caixa de chiclete para vir os 50 com todos os bichos em extinção, haha! Tempos de adolescência! Bjo

Janaina Barreto disse...

Poxa, acho que eu tinha aceitado na hora... ;x Pena que as pessoas não são sempre assim, né? Doar livros, quanta coragem e boa vontade. *-*
Atualmente eu acho que não coleciono nada (além de livros...), mas já colecionei canetas, chaveiros, bloquinhos de anotação, estojos, tazzo como o colega aqui em cima ↨↨↨ ... ih, um monte de trecos mesmo! Espero um dia ter uma coleção de livros tão grande que possa também ser compartilhada. ^^

p.s.: gostei desse post, de saber mais de você que mostra tão pouquinho da tua vida por aqui. :)

Beijos, garota. ;*

Janaina Barreto disse...

ah, esqueci de perguntar: essa menininha é aquela do labirinto do fauno? morro de medo daquele filme! òó

Ana Lu disse...

Ei Bárbara! Que legal o episódio desse senhor doando livros no ônibus! Achei bem interessante! Não funcionaria comigo, pois eu tenho o grave defeito de ter muito apego aos meus objetos, infelizmente. Eu sempre lembro de uma história sobre eles, ou sobre quem me deu, o momento em que eu tava vivendo, e aí, pronto, desisto de me desfazer dele. Só não tenho problema com roupa. Não uso mais, passo mesmo. Agora os tais dos bichinhos e das tranqueiras.. Vou te contar, hahaha

Sofia A. disse...

Nunca colecionei nada, acho que muito por falta de disciplina da minha parte, ou pela minha eterna distração - provavelmente perderia mais itens do que acumularia, rs.
Mas achei muito legal o episódio do senhor doando livros, eu jamais doaria os meus, mas é bem bacana, principalmente pra quem vai receber.
Um beijo!

GaB. disse...

Que máximo isso de sair dando os livros. Eu aceitaria na hora, claro, depois da explicação dele. Achei a ideia ótima, e assim que minha casa "lotar" de livros acho que farei o mesmo. É um destino digno que eu posso dar para os meus livros.
Então..eu nunca fiz uma coleção. Pelo menos não com o intuito de colecionar. Tenho muitos marcadores de páginas, canetas coloridas, fitas, e chaveiros de pelúcia, mas não sei se isso é coleção. É? Então eu também sou colecionadora. haha
Teu post me deu vontade de começar uma coleção de verdade... acho que começarei por tampinhas de coca cola, que tal? hahaah (:
Beijo! Adorei o post.

mariasamara disse...

Adorei o post. Eu coleciono basicamente o que todo munda coleciona: dvds, cds e livros (mas vivo guardando quase tudo, mas em cada arrumação jogo um bocado de coisa fora). Espero um dia chegar aos 500 igual a esse senhor (e ter onde guardar, pq desfazer de algo para um colecionador é dolorido). Ah, fiquei com inveja dos seus livros da Jane Austen. E adorei os bonequinhos com os livros tb.

Solano disse...

Legal essa ideia de doar livros. Eu teria aceitado. Mas por impulso e ter que tomar uma decisão na hora, a gente sempre age na defensiva. Eu colecionava revistas, mas um dia minha mãe me chamou para uma conversa séria e gentilmente "pediu" para eu me livrar daquelas tralhas velhas...Hoje coleciono revistas em quadrinhos antigas e miniaturas de motos 1:18. Mas sem stress, só compro quando dá vontade.
Abraço
Solano - Lajeado/RS

Débora Braga disse...

Adorei esse moço que doa livros, muito legal! Eu já colecionei tazos, eu tinha muitos; já colecionei bola de gude rs, folhas de fichário, esse das folhas foi o que eu mais colecionei, tenho até hoje. Eu tinha um professor de Sociologia, que é Jornalista, que guarda matérias de Jornais, mas ele disse que são muitos. Você não é a única hahaha.
Beijo

srta paty disse...

Adorei seu blog. Estou seguindo.
Se puder, segue o meu também?

ps-srtapaty.blogspot.com

Beijos.

nadja soares disse...

kkkk
sou compulsiva tbém!
tenho canetas, bonecas de ceramica, caixinhas, postais, quadros, livros...
utensilios de cozinha - detalhe, não cozinho...rs
vc tem razão, todos somos loucos, mas e daí?
beijao

mariasamara disse...

Oi Barbara, obrigada pelo comentário com as dicas sobre Jane Auten lá no meu blog. Já estou procurando Miss Austen Regrets pra baixar, mas, me diz, "Amor e Amizade" não é um livro dela? Eu vi no skoob que era, achei estranho, pq realmente nunca tinha ouvido falar. E "Amor e Inocência" é que é o titulo em portugues do filme Becoming Jane, comprei o dvd essa semana. Beijos e obrigada desde já.

Tary disse...

Adoro colecionar também! Coleciono livros, canetas coloridas, corujas e marcadores. Não teria o desprendimento desse senhor de sair por aí doando meus livros, provavelmente ter 500 livros não seria um problema pra mim, hahaha. Mas achei a atitude dele bem bonita! E suas coleções são liiiindas. Amei a ideia de guardar matérias interessantes, vou copiar, certeza! Beijo!

Anna Vitória disse...

Sou uma colecionadora frustrada, Bárbara. Já tentei colecionar de tudo, mas vamos dizer que não sou organizada e perseverante ao ponto de ter algo que eu me orgulhe.
Ganhei de minha tia uma coleção gigante de papéis de carta, que guardo com enorme carinho até hoje, mas essa não conta porque eu ganhei pronta.
Tenho, claro, meus livros e filmes, que me são muito queridos, mas não os enxergo como coleção.
Tenho um bocado de Caprichos antigas guardadas aqui, mas muito mais por dó de jogar fora do que qualquer outra coisa. Não é como se eu relesse aquelas baboseiras que me faziam gastar R$5 a cada quinzena quando era pré-adolescente.
Mas acho super legal colecionar, super invejo coleções alheias!
beijo

chica disse...

Que lindo encontro com quem quer doar livros...Só que estamos tão com pé atrás que desconfiamos até da sombra,rsrs Legais as coleções.beijos, linda semana, acabou a festa!rsrs chica

Kamilla Barcelos disse...

Adorei suas coleções. Tudo lindo e fofo! Eu tenho fases de colecionadora, mas nunc levei nada muito a sério.