sábado, 14 de maio de 2011

Programas de culinária feitos para você

Não existe nada melhor para uma hora de descanso do que sair zapeando pelos canais da TV a cabo. São nesses momentos que você descobre os programas mais esdrúxulos nos canais mais – aparentemente – inúteis.
De uns tempos para cá, minha nova mania tem sido descobrir novos programas e realities de culinária. Se você espera algo, do que eu vou chamar Palmirinha-style, com uma câmera filmando a cozinheira-vovó atrás da bancada e um boneco para interagir durante a receita, desista. Os estrangeiros se acham superiores a esses programas de culinária feitos para donas de casa que gostam de cozinhar: agora a moda é programas de culinária para pessoas que provavelmente não gostam de cozinhar e não vão seguir nenhuma das receitas “ensinadas” pela televisão.

Esses programas de culinária moderna repudiam a anterior geração Palmirinha-style: os apresentadores são bonitos, passam a impressão de estarem na melhor época de suas vidas enquanto cozinham. Nada de câmeras paradas, o jeito é exagerar nas cores e na luz e mostrar os ingredientes desfocados fazendo com que, mesmo que você quisesse acompanhar a receita, você não conseguisse descobrir qual é o alimento. Os cozinheiros não precisam de fantoches, já que conversam com a câmera e interagem com o telespectador de um jeito que Machado se orgulharia. Você entra dentro da casa dos apresentadores e em suas cozinhas que geralmente são ao lado de belos jardins com mesas propositalmente arrumadas para a degustação posterior. E, por último, cozinhar sempre é muito fácil para eles.


Assim, de memória, consigo lembrar de três programas dessa categoria. O primeiro é The Delicious Miss Dahl onde as receitas variam de acordo com o humor da cozinheira (que já foi modelo internacional), ou seja, ela cria pratos para quando você está alegre, bravo ou triste – como se nas horas de depressão a gente quisesse cozinhar; o melhor mesmo é se jogar na pizza, chocolate e sorvete.
O segundo é o programa da Nigella onde, aí sim, sempre cozinhar é muito fácil. Você consegue, em uma única noite, fazer uma ceia de Natal, colocar as crianças na cama, tomar um vinho e ainda conversar com os amigos, porque, novamente, cozinhar é muito prático (não me perguntem quem fica responsável por lavar a louça).
O último é programa do chef Jamie Oliver, para o qual congelados, semi-prontos e miojos devem ser banidos da face de qualquer casa sobre a Terra. Esse é o mais interessante porque ele é praticamente o stand up dos programas de culinária: alguns episódios são gravados em teatros e com a interação do público onde ele não somente faz massa de macarrão em dois minutos como também canta e toca bateria. Ao final, a gente só lembra das piadas e acaba ignorando as receitas saudáveis.

Eu não acredito que o público alvo desses programas sejam as donas de casa interessadas por culinária – essas assistem Palmirinha-style. Os programas de culinária modernos parecem ter sido elaborados por pessoas que acreditam que jovens solteiros, recém-casados ou famílias queiram gastar um bom tempo cozinhando de forma saudável e recompensadora.

Não funcionou comigo.

Sabe qual é meu programa de culinária preferido? Man VS Food.



O programa é simplesmente sobre um cara que percorre os Estados Unidos a procura dos melhores lanches gordurosos ao estilo fast food e, ao final de cada episódio, trava uma guerra contra a comida tentando saborear porções gigantescas oferecidas pelos restaurantes, indo desde torres de panqueca a pizzas tamanho família.

Isso sim é um programa de culinária para deixar qualquer gordinho tenso mais feliz.

4 comentários:

✿ chica disse...

Quando dá um tempinho zapeio també e paro num e noutro desses programas. Mas nem pego receitas, apenas olho um pouco...beijos,lindo domingo,chica

-Lú Pierson disse...

Adorei o seu post! (Como sempre! rs)E dei boas risadas, pois assisto a TODOS esses programas que você citou! Menos o Man vs Food, pois às vezes me dá um certo desconforto estomacal vendo ele comer tanto de uma vez só! (HAHAHA)
Mas eu adoro esses programas fico comendo com os olhos, e várias vezes já tentei copiar alguma receita. Confesso que não há nada mais terapeutico para mim do que uma boa panela, fogão e algo para inventar!
Gosto desses programas também pois eles não necessitam de qualquer esforço mental para assistir, e caso você durma no meio da receita não vai fazer falta mesmo, não é?
Beijos!
(Preciso passar por aqui mais vezes, ler os eu blog é uma delícia!)

Anna Vitória disse...

Ultimamente eu tenho me interessado bastante por culinária, além do ato de comer. Acho que foi de tanto ler a Nina Horta na Folha.
Desses programas de culinária eu já vi o Jamie Oliver e o da Miss Dahl. O do Jamie é divertido, mas eu vejo bem pouco, já o da Miss Dahl, que passa o tempo todo, eu vejo mais e adoro. As coisas que ela faz são tão... bonitas!
Mas Man vs Food eu nunca vi, mas só lendo eu já amei. É o programa feito pra mim.
haha
beijo

Vanessa disse...

Eu assisto muitos programas de culinária, e não é programado, vou zapeando como vc disse e qdo vejo caio num deles. :-)

Como vc participou da primeira edição de Solta do Som, em 2009, passei para convidar a falar sobre música mais uma vez . Solta o Som 2

abraço